terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Jacques Philippe Marie Binet


Nascimento: 02 de fevereiro de 1786 em Rennes, na Bretanha, FrançaFalecimento: 12 de maio de 1856 em Paris, França

Jacques Binet entrou na École Polytechnique, em Paris, em 22 de novembro de 1804 e, após graduar-se em 1806, ele trabalhou para o Departamento de pontes e estradas do governo francês.
Tornou-se professor na École Polytechnique em 1807 e, um ano depois, ele foi designado para auxiliar o professor de análise aplicada e geometria descritiva. Em 1814 foi nomeado examinador de geometria descritiva, em seguida, em 1815, ele foi nomeado para suceder Poisson em mecânica.
Em 1816, Binet tornou-se um inspetor de estudos na École Polytechnique, mas ele também se tornou um editor da edição de Lagrange é Mécanique analytique que estava sendo elaborado dois anos depois de Lagrange morreu. Binet foi também nomeado para a cadeira de astronomia no Collège de France em 1823.
No entanto a revolução de julho de 1830 foi ruim para Binet. A revolução começou depois Charles X publicou portarias restritivas em 26 de Julho, que eram contrárias ao espírito da Carta de 1814. Houve protestos, manifestações e combates em 27 de julho, 28 e 29. Binet foi um forte defensor de Carlos X por isso foi uma má notícia para ele quando Carlos X abdicou em 02 de agosto e, uma semana depois, Luís Filipe foi proclamado rei da França. Binet foi longe demais associados com o regime anterior de ser aceitável para o de Louis-Philippe e ele foi demitido como inspetor de estudos em 13 de Novembro de 1830.
Binet investigava as bases da matriz da teoria que viria a definir o cenário para o trabalho posterior de Cayley e outros. Ele descobriu a regra para multiplicação de matrizes em 1812 e é certamente por isso que ele será lembrado.
Binet foi um dos precursores no estudo dos fundamentos da teoria matricial, como por exemplo a definição da multiplicação de matrizes. O teorema de Binet-Cauchy lembra seu nome, tendo ele desenvolvido uma fórmula não-recursiva para o número de Fibonacci, em 1843, no entanto já conhecida por Leonhard Euler, Daniel Bernoulli e Abraham de Moivre.
Ele, no entanto, escrever uma série de documentos importantes que tiveram influência no desenvolvimento da matemática, em particular, ele escreveu Mémoire sur les définies eulériennes Integrales em 1840. No ano seguinte, ele escreveu sobre Teoria dos Números, fazendo uma contribuição para a teoria do algoritmo de Euclides. 
Binet não escreveu somente sobre Matemática, mas também em outras áreas, como física e da astronomia, e ocupou a cadeira de astronomia no Collège de France durante 30 anos. Ao todo, ele escreveu mais de 50 trabalhos.
Entre as muitas honrarias que recebeu para seu trabalho, as mais importantes foram Chevalier de la Légion d'Honneur em 01 de maio de 1821 e a eleição para a Académie des Sciences em 1843.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Pesquisadores resolve um dos grandes problemas matemáticos do mundo


Uol,
   Dois matemáticos, o norte-americano Carl Cowen e a espanhola Eva Gallardo, anunciaram ter resolvido a teoria dos "subespaços invariantes em espaços de Hilbert", um dos grandes problemas matemáticos do século 20 que muitos tentaram comprovar sem sucesso.
   Formulado nos anos 1930 pelo húngaro-americano John von Neumann e baseado na teoria do matemático alemão David Hilbert (1862-1943), o problema dizia que todo operador em um espaço de dimensão infinita possui um subespaço próprio que não varia.
   No entanto, até agora ninguém tinha conseguido demonstrar a correção do enunciado, por isso a descoberta da dupla representa um "marco histórico", considerou o presidente da Sociedade Matemática Espanhola, Antonio Campillo, durante o congresso da instituição em Santiago de Compostela, no noroeste da Espanha.
   Cowen, da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, admitiu que se trata de um conceito difícil de entender porque vai além das três dimensões do nosso mundo e tentou explicar a teoria com uma bola de basquete.
   "Se você gira uma bola, ela sempre gira sobre um eixo. [Então,] Podemos imaginar, talvez não com muita clareza, uma bola de dimensão infinita e um espaço com dimensões infinitas" e provar que, desta forma, também pode girar.
   Para solucionar o problema, que exigiu três anos de trabalho, os dois cientistas o abordaram a partir da teoria das funções de variável complexa, explicou Eva, da Universidade Complutense de Madri, na Espanha. Segundo ela, "é uma perspectiva diferente da habitual que talvez nos tenha dado a chave".
   O impacto da descoberta "será imediata e de enorme transcendência" para a "comunidade matemática mundial", afirmou Campillo, tanto por sua contribuição para a ciência básica, quanto por suas possíveis aplicações práticas.
   Apresentada em uma curta solução de menos de 20 páginas, a fórmula de Cowen e Gallardo foi analisada por três especialistas que não encontraram erros, ao contrário do ocorrido no passado com os trabalhos de outros matemáticos.